quarta-feira, 23 de setembro de 2009

RECEPTORES DA DOR DO OUTRO: SENSITIVOS


Isso acontece comigo e com muita freqüência. Às vezes estou super bem, mas de repente isso muda, e como estou na fase de mergulhar em águas mais profundas do auto conhecimento, quando esse sentimento ruim começa a aflorar, tem logo uma voz interior que me avisa: “OPA! Isso não é seu.” Vá ver se está tudo bem com a pessoa que está a seu lado ou com as pessoas que estão ao seu lado. Tem alguém sentindo isso que você pensa estar sentindo? E batata... Como diria meu pai, sempre tem um “bençoado (a)” sentindo tudo aquilo que eu sentia, e que não tinha absolutamente nada a ver comigo.
Segundo sei, e o que sei é pouquíssimo em relação a isso, mas dizem que isso é próprio de pessoas sensitivas, usando termo parapsicológico. Não é porque somos bipolares, ou por causa de transtornos de personalidade, embora muitos pensem que seja por causa da doença, mas na realidade são peripécias de nosso cérebro que possui essa faculdade.
O único problema para mim é o não saber como cortar essas tais ondas cerebrais doentes que entram em nosso cérebro. Não sei como me proteger contra isso.
Sei que é próprio de pessoas sensitivas, mas ainda não sei como colocar uma redoma para que os males não me atinjam, quem sabe alguém já descobriu como podemos lidar com o sofrimento alheio, sem que isso nos faça tanto mal. Por isso muitos sensitivos detestam estar em comunidade, e dizem que ele tem o tal PÂNICO, claro que temos que ter muito cuidado conosco e se vermos que estar em determinados ambientes negativos, ficamos contaminados, digamos assim, e se não sabemos ainda como proteger-nos contra isso, o remédio é nos isolar, nem que seja por um tempo.
Mas os sensitivos são assim desde que nascem, portanto o captar, inclusive os males de nossas mães, é algo que acontece de uma maneira gritante conosco, enquanto estamos sendo gestados.
Temos esse poder, essa faculdade paranormal, mas como lidar com isso? Sei lá! E digo que não é nada de mediunidade, pois não sou espírita. Sou Católica Apostólica Romana e nada de sincretismos religiosos.
Eu costumo rezar. Peço em oração que o Senhor tire de mim esse mal que sei não me pertencer, e quase sempre funciona como proteção, mas nem sempre. Quando o sentimento ou a dor do outro é muito forte, nem sempre consigo dominar isso em mim.
Mas um dia saberemos como lidar melhor com isso.
Mas não te preocupes nada te perturbe, nem te amedronte, pois Deus que é bondade colocará as pessoas certas, no momento certo para nos ajudar. Sei disso!
Abraço. Lourdes.

5 comentários:

  1. Foi bom ler esse texto. Já sabia disso, mas ouvir que tem mais gente assim e não é louca, é melhor ainda. Experimento os piores sentimentos quando estou em público. Me transformo , carrego tudo aquilo como se fosse meu. Parece que tudo de ruim gruda em mim. Ás vezes, chego em casa e do nada acabo descutindo. Ás vezes, tenho vontade de me matar, então me lembro que pode não ser meu, pois amo a vida. Procuro fuga no jardim, cuidando das flores, ou vou passear em lugar de céu aberto, perto da natureza. Penso muito em Jesus e a vida volta. Acho que é a força do pecado no "ar".

    ResponderExcluir
  2. Isto mesmo Rogério. Pe. Cabral me ajudou muito com isto. Mas que tal fazer nossas Aldeias de Vida, já que este Pe. faleceu. Abraço. Lourdes Dias.

    ResponderExcluir
  3. Eu preciso de ajuda. Amo muito uma pessoa sensitiva que diz que não pode ficar comigo. Eu sei que ela me ama. Simplesmente diz que não pode porque quando esta comigo sofre :(

    ResponderExcluir
  4. Que bom saber que não estou sozinha, tenho esses sentimentos desde criança, e muito mais coisas acontecem, também sou Católica e descobri que ao rezar o terço eu me desconecto dessas "energias" , mas as vezes chego a passar tão mal que fico acamada, em estado febril, gostaria que a Igreja nos esclarecesse melhor estes sentimentos...

    ResponderExcluir
  5. Preciso de ajuda, pois não sei o que fazer, hoje mim identifiquei com essa postagem e mim alegra em ser em um blog de fé católica, a um bom tempo sinto o que foi narrado acima não entrearei aqui em detalhes queria saber o nome d eum padre ou de alguem para eu melhor conversar sobre os ocorridos

    ResponderExcluir